Como venho mudando o meu relacionamento com a comida?


Estou feliz me dá vontade de comer, estou triste me dá vontade de comer, quero celebrar algo...claro, comida. TPM é sinônimo de chocolate e raiva é bem mais amena quando junto um chocolate com carboidrato, bolo de chocolate é um exemplo.

Quem nunca passou por esta situação ou passa toda semana? Se você não se encaixa neste grupo, com certeza este texto não serve para você, mas, se já passou por qualquer uma destas situações acima, bora conversar um pouco?

Desde que fiz a cirurgia bariátrica e fazendo o tratamento terapêutico, tenho percebido que o meu problema com a obesidade é muito relacionado ao como me relaciono com a comida.


Observei que desde pequena, algumas cenas foram e ainda são bem marcantes:

- ser recompensada por ter feito uma boa tarefa;

- receber guloseimas como presente ao final do dia, quando meus irmãos ou meus pais chegavam do trabalho;

- comemorar com os amigos quando eu conseguia um novo trabalho, ou batia metas;

- encontrar pessoas que gosto para conversar, em um bar, tomar cerveja e comer batata-frita;

- ir na lanchonete e comer aquele lanche bem grande com refrigerante, afinal, é final de semana;

- pedir a maior e melhor pizza para dividir com a minha família, afinal, eu trabalho tanto para me dar este prazer de presente....

- estar com muita raiva de uma situação e ir até a Padaria para aliviar o estresse;

- brigar com o marido e ir para a doceria, afinal, ele não vai ligar se eu engordar;

- bater aquela tristeza, passar no mercado e fazer aquele Kit de “primeiros socorros” instantâneo da felicidade!

Algumas outras cenas também são tão marcantes quanto estes momentos:

- não quero me olhar no espelho porque engordei e minhas roupas estão apertadas;

- balança esta semana, nem pensar, comi demais no final de semana;

- encontrar com amigos hoje não, melhor ficar em casa, assistindo Netflix, todo mundo vai reparar o quanto engordei;

- putz, festa de família...aquela tia vai falar de novo “como você engordou né?

- que raiva! Porque fui comer aquele lanche? Furei toda a minha dieta!

- eu não levo nada a sério mesmo, emagreci e já engordei tudo de novo!

Estas situações sempre foram rotineiras na minha vida e ainda não consegui me livrar 100% delas, afinal, fiz cirurgia, mas não deixei de comer, rs. A grande questão é:

- Como tenho feito para identificar estas atitudes e substituir estas cenas do filme da minha vida? Afinal, eu não quero encenar um Drama meloso de autopiedade e culpa.


Minhas dicas são:

- em primeiro lugar é necessário identificar o que você sente, autoconhecimento e vigilância constante de suas atitudes;

- para raiva, TPM, tristeza...e sentimentos a fim, procure respirar fundo, entender de que local do seu corpo estão vindo estas emoções e como você pode resolver a situação – passar raiva somente não vai adiantar;

- para as vontades de comer doce: decida comer ou não comer e, se for comer, coma sem culpa. A questão não está no que você come, mas sim, na quantidade e na frequência.

- pratique o “Mindful eating”, ou seja, o Comer Consciente, isto irá te ajudar a ter mais saciedade, mais prazer com os alimentos, experimentar novos sabores e entender o momento da refeição;

- em celebrações, busque outras alternativas. Eu vou ao parque, teatro, cinema, praia...vejo filmes e séries que gosto, leio livros preferidos...

- Viva a alegria de praticar exercício físico, não é uma penalidade, mas é algo muito legal e que pode te trazer muito prazer! Eu hoje trocaria sair com uma amiga para tomar cerveja por correr no parque e depois ter uma longa conversa tomando água de coco.

- faça yoga e meditação todos os dias pelo menos 20 minutos;

- acorde cedo, faça suas refeições sempre que possível nos mesmos horários;

- ame seu corpo, indiferente de como ele está agora e diga para ele que o ama, é importante seu corpo físico saber que você gosta de cuidar-se!

- coma com prazer e não com culpa, comer é algo necessário para a sua sobrevivência. Por isso, busque fazer escolhas conscientes, desta forma você comerá aproveitando todo o bem estar que a comida pode te oferecer!

E por fim, saiba que cada dia é um novo dia e mais um dia para vencer estes hábitos e culturas enraizados na sociedade. Nós somos os responsáveis por plantar uma nova relação com o ato de comer: o que, como, onde e quando comer!!


Com amor,

Ale Dotto

2 visualizações
  • INSTAGRAM
  • YOTUBE
  • Grey Facebook Ícone