Vamos abolir o "aviãozinho"?


Como você espera que seu filho se alimente no futuro? Qual a relação que ele terá com o alimento? Será que não existem muitos adultos esperando o "aviãozinho" para comer de forma saudável?

Brincar, enfeitar o alimento, é uma maneira válida de alegrar a criança, mas não deve ser o que a faz comer. Oferecer uma alimentação saudável para as crianças não se limita à nutrientes, vai muito além. O horário das refeições deve ser considerado um ritual de harmonia familiar e não uma batalha à mesa. Nutrientes formam o corpo físico da criança e a forma como esta comida está sendo ingerida forma o seu comportamento frente à comida. Normalmente, pais e mães estão preocupados com o equilíbrio das proteínas, carboidratos, gorduras...e toda esta preocupação é de extrema importância para a formação e crescimento da criança, porém, é também necessário pensar na educação de como comer. Equilibrar corpo, mente e emoções neste momento é o que irá repercutir para sempre em sua saúde e estilo de vida.

Assim como existe carência de nutrientes, identificamos a carência da atenção. Comer é uma das principais ações rotineiras do ser humano, pelo menos 5 vezes ao dia você estará se alimentando ou pensando na sua alimentação. Pois bem, a criança sabe que é neste momento que você irá dar plena atenção à ela, uma mãe dificilmente desisti de alimentar o seu filho...logo, outras carências, as afetivas, podem ser "cobradas" pelas crianças neste momento. A criança é esperta o suficiente para usar a alimentação para chantagear e conseguir chamar a atenção.

O que fazer então? Como não fazer que as crianças de hoje não fiquem esperando os "aviões de comida" que hoje são produzidos pelas industrias?

Veremos esta questão nos próximos posts!

Bjs e excelente final de semana!

Ale Dotto

* Bibliografia: Crescendo com Saúde, Maria Luiza de Brito Ctenas e Márcia Regina Vitolo.


11 visualizações
  • INSTAGRAM
  • YOTUBE
  • Grey Facebook Ícone